Segunda-feira, 12 de Novembro de 2018
Trade
Centros de Convenções e Exposições formam alianças para alavancar negócios
Imagem do Artigo: Centros de Convenções e Exposições formam alianças para alavancar negócios

Por João Zuccaratto, jornalista especializado em turismo baseado na cidade de Vitória, capital do Estado do Espírito Santo, especial para o MICE Business

 

Solução inovadora em termos mundiais: não é associação, clube, entidade, ONG etc.

Marca será gerida por empresa privada especializada. Formato similar às bandeiras de hotelaria. O foco está na captação de novos negócios, tanto no Brasil quanto no exterior.

Alavancar a captação de novos negócios, isto tanto no mercado nacional quanto no âmbito do internacional; melhorar a remuneração das atividades em seu todo; reduzir — ou, quem sabe, eliminar! — os intervalos de ociosidade; minorar os efeitos da sazonalidade; ampliar a oferta de serviços a serem oferecidos aos contratantes; aprimorar os processos internos de administração e de operação; e, buscar uma maior padronização possível de procedimentos.

Estes são os objetivos primordiais buscados pelos gestores de espaços voltados à realização de eventos, feiras e similares com a criação do que batizaram como Aliança de Centros de Convenções e Exposições — Acce. Com modelo inovador de formatação — inclusive em termos mundiais, fugindo aos figurinos de associação, clube, entidade, ONG etc. —, é uma marca de fantasia operada por empresa privada constituída para atender aquelas finalidades.

Eles deram partida à construção de algo similar a uma “bandeira de hotelaria”, sob a qual empreendimentos dos mais diversos pontos do Brasil, sejam particulares ou não, passem a ter possibilidades de atrair realizações atualmente concentradas apenas no eixo dos grandes centros. E, também, contribuir para profissionalizar um setor ainda conduzido de maneira amadora e pobre em nossa Nação — ao contrário do visto nos países de Primeiro Mundo.

Reunidos na cidade de Vitória, capital do Estado do Espírito Santo, nos últimos dias 29, 30 e 31 de janeiro, delinearam uma sistemática de funcionamento resumida em agilidade nas tomadas de decisões, compartilhamento das despesas de manutenção, custos os mais baixos possíveis, estratégias de longo prazo, foco total em inteligência, marketing de ruptura frente à imobilidade atual e, principalmente, o uso e abuso das facilidades e tecnologias digitais.

Trouxeram à luz, ainda, as primeiras versões sobre diversas questões para compor amplo regulamento a ser aceito e obedecido pelos integrantes da Aliança. Como exemplos: joia a ser cobrada daqueles entrando a longo do tempo; permissão ou proibição da participação de concorrentes numa mesma localidade ou região; presença de empresas de outros ramos, mas com interesses comuns; relacionamento com as três esferas de Poderes Públicos etc.

Tudo isso começa a ser colocado no papel a partir de agora, tarefa a cargo do executivo José Roberto Sevieri, profissional com expertise comprovada na atividade, seja em terras brasileiras, seja no exterior. É dele, também, a responsabilidade de materializar a proposta da ACCE, com a montagem de estrutura de atendimento, contratação de equipe, criação de calendário de eventos de abrangência nacional de consulta fechada, via Web, e bem mais.

Outra decisão firmada pelos presentes no que poderia ser chamado de “Carta de Vitória” é a realização de reuniões executivas a cada 60 dias e encontros semestrais de sensibilização e disseminação de conhecimentos. Nestes últimos, um dia seria destinado a ser conhecer o destino que os está recebendo com mais profundidade, visitando tanto o equipamento do integrante da Aliança quanto os principais atrativos turísticos importantes daquele local.

Todos os presentes, desta vez, na cidade de Vitória foram convidados a voltar ao Estado do Espírito Santo daqui a dois meses, repetindo a hospedagem no Hotel Slaviero e podendo se reunir numa das salas do Centro de Convenções de Vitória, ambos empreendimentos do Grupo Neffa. Aliás, a qualidade das instalações deste último impressionou positivamente àqueles que o desconheciam — sendo surpreendidos, inclusive, pelas dimensões do mesmo.

Também retornaram às suas cidades de origem muito admirados com as belezas da cidade de Vitória e seus arredores, tanto aqueles que ainda não a conheciam quanto alguns que não a visitavam há tempos. Destacavam paisagens exuberantes, organização viária, sinalização das vias, arborização de avenidas, praças e ruas, qualidade da limpeza pública, fluidez do trânsito de veículos e apresentação dos monumentos, além do desfile das escolas de samba.

José Roberto Sevieri tem grande expertise na captação e realização de eventos e feiras

O executivo José Roberto Sevieri, escolhido para estar à frente das operações da Aliança de Centro de Convenções e de Exposições — Acce, além de formado em Administração de Empresas, tem uma enorme experiência na área de eventos e feiras industriais, notadamente aquelas focadas no setor de segurança. Já são quase 40 anos de atuação na atividade, desde que, no ano de 1977, fundou uma editora voltada a publicações especializadas no segmento.

Aproveitando a popularidade da sigla Cipa — identificadora de Comissão Interna de Prevenção de Acidentes —, além de usá-la como Denominação Social da sua empresa logo colocou no mercado a Revista Cipa, da qual ficou à frente por quase 350 edições. Ela foi seguida da Incêndio, quase 60 edições, e da Saut, voltada à saúde no trabalho, quase 30 edições. A partir do sucesso editorial, vieram os eventos e feiras associados aos temas.

Colocou no mercado a Feira Internacional de Segurança e Proteção — Fisp, ficando sob sua responsabilidade 17 edições. Seu trabalho ajudou a torná-la a líder deste segmento em toda a América Latina, e uma das três maiores do mundo. Em seguida, a Feira Brasileira de Segurança — Braseg, em seis edições, sempre na cidade de Belo Horizonte, capital do Estado de Minas Gerais.

Outro grande destaque foi a Feira Internacional de Tecnologias de Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade — Reatech, voltada para soluções destinadas a pessoas com mobilidade reduzida e necessidades especiais, com sete edições. Depois de quase 20 anos, José Roberto Sevieri deixou a sociedade com os italianos e inovou com a Proma Publicações Produtos e Serviços, que funciona como grande vitrine virtual de produtos e serviços de segurança.

Destaque na carreira de José Roberto Sevieri é a participação em entidades representativas do setor, como a Associação Nacional de Editores de Publicações — Anatec; Associação Brasileira de Empresas de Eventos — Abeoc; Associação Nacional da Indústria de Material de Segurança e Proteção ao Trabalho — Animaseg; Agência Brasil de Segurança — ABS; e a Fundação Selma, voltada à reabilitação de portadores de deficiências físicas e motoras.

Profissionais especializados em eventos presentes na cidade de Vitória, capital do Estado do Espírito Santo, e que contribuíram para a criação da Aliança de Centros de Convenções e Exposições — Acce, aqui organizados em ordem alfabética dos seus nomes:

• Alano Luiz Queiroz Pinheiro — Estação das Docas

• André Martellotta — Beat Turismo e Eventos

• César Naste — Mendes Convention Center

• Édson Loureiro — Grupo Neffa

• Guilhermo Benitez — Engaje Comunicação

• José Roberto Sevieri — Proma Publicações Produtos e Serviços

• Lúcia Neffa — Centro de Convenções de Vitória

• Mara Gislane Bernardes Souza — MB Representações

• Maria Luíza Menezes da Silva — Messe Duesseldorf

• Maurício Costa — Espaços para Eventos

• Nádya Risocelly — Rofer Feiras e Eventos

• Ricardo Azeredo — Ponto dos Eventos

• Ricardo Franco Godoy Teixeira — Expo Dom Pedro

• Tamara Monteiro de Figueiredo — Hangar Centro de Eventos

• Thiago Cremasco — Centro de Convenções de Vitória

• Yoshi Shimanoe — Vega Comunicação

 

Foto: Clóves Louzada

 

Compartilhe:

Apoiadores
©2018 Rent My Brain
Desenvolvido por SIXSIDED