Segunda-feira, 18 de Junho de 2018
Corporativo
Esperança nos negócios e crescimento econômico menor em 2018, concluem empresários durante Seminário Internacional Líderes 2018
Imagem do Artigo: Esperança nos negócios e crescimento econômico menor em 2018, concluem empresários durante Seminário Internacional Líderes 2018

A Segunda edição do Seminário Internacional Líderes, promovido pelo Grupo Spring de Comunicação (Brasil) e Líderes TV (Argentina), aconteceu em Buenos Aires, em 1º de junho no Palácio Duhau-Park Hyatt Buenos Aires, e gerou uma corrente de perspectivas positivas para a região, apesar dos cenários difíceis. Evento cria um espaço valioso para analisar e debater ideias e projetos entre líderes dos dois países dos setores público e privado. “Queremos reforçar o compromisso que os dois países têm com a economia regional. O seminário nasceu para fomentar o potencial das negociações público-privadas bilaterais em diversos segmentos como indústria, agronegócios, competitividade, investimentos e infraestrutura”, citou Cecilia Luchía-Puig, presidente do Grupo Líderes TV e organizadora do seminário. “A primeira edição ocorreu em São Paulo, agora consolidamos um formato assertivo de encontro. Todos sabem que precisamos dizer algo forte e impactante”, sintetiza José Roberto Maluf, presidente do Grupo Spring e Líderes TV Brasil.

Gabriela Michetti, Vice-Presidente da Argentina afirmou que “as exportações cresceram aqui no país”. “Mercados de outrora desapareceram. Estamos reabrindo todos novamente, além de outros como Marrocos, Austrália e Arábia Saudita. Sabemos que precisamos ter nosso produto como valor agregado, ou seja, tecnificar o perfil exportativo”, completou Michetti. Mais de 150 convidados entre políticos, diplomatas, diretores e CEO´s de grandes empresas estiveram presentes.

Como a Argentina receberá a cúpula do G20 em novembro, o Sherpa e embaixador Pedro Villagra Delgado, comentou que Brasil e Argentina precisam juntos de uma mudança profunda para formar a nova geração. “Ambas as nações precisam refletir sobre a sustentabilidade da alimentação”, frisou. Sérgio Danese, embaixador do Brasil em Buenos Aires, explanou diversos exemplos de parcerias bilaterais. “Nossas chancelarias estão colocando em prática uma iniciativa inédita. Uma atuação conjunta durante a Copa do Mundo na Rússia, ou seja, os cidadãos serão atendidos no mesmo endereço”, antecipou o diplomata brasileiro.

Durante o primeiro painel “Indústria” os debatedores apresentaram um aumento de 2% a 2,5% para o Brasil e de 1% para Argentina em 2018. “Os parâmetros econômicos são bons, mas teremos muita volatilidade”, pontuou Pablo Di Si, presidente de Volkswagen para América Latina. “Creio que o mercado brasileiro de automóveis encaminha-se para uma venda interna entre 2,7 e 2,8 milhões de unidades, o que é uma excelente notícia”, completou Carlos Zarlenga, Presidente da GM para América Latina. Martín Berardi, presidente da Ternium Argentina, ressaltou que “aqui na Argentina estamos com as variações do tipo de câmbio, a subida das taxas de interesse e uma variação para baixo das projeções de crescimento”. “Como as coisas estão, não esperamos que a recuperação seja superior a 2,5%. Por outro lado, o aumento do desemprego faz baixar a confiança do consumidor”, concluiu José Ricardo Roriz Coelho, Presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).

Di Si mostrou ainda o investimento da marca ao conceito da indústria 4.0 e apresentou um espectro do cenário regional com um investimento de sete bilhões no Brasil e 800 milhões na Argentina nos próximos anos. “Queremos, cada vez mais, oferecer soluções à experiência do consumidor. O lançamento mundial do Virtus, em 2017, foi um exemplo disso. Do uso da inteligência artificial” revelou o executivo da montadora alemã.

Juan Pablo Trípodi, Presidente da Agência Argentina de Investimentos, analisou o campo da competitividade do agronegócio no painel “Regionalização e Agronegócios”. “Nosso país perdeu muitos mercados nos últimos anos, com isso não tínhamos mais credibilidade. Agora voltamos a investir mais nas áreas avícola, suinocultura e aquicultura”, apresentou Trípodi. Gustavo Grobocopatel, Presidente do Grupo Los Grobo, afirmou que “as plantas serão o futuro da humanidade. Devemos investir mais em nanotecnologia, inteligência artificial, medicina e biotecnologia. O Mercosul pode oferecer soluções inovadoras ao mundo”. “Estamos vivendo a 4ª revolução industrial e isso é urgente. Temos que estar conectados em todos os setores. Nossas negociações com o mundo, especialmente a União Europeia, são vitais para sermos mais competitivos”, pontuou Agostinho Turbian, Presidente do Global Council of Sales Marketing (GCSM). Marisa Bircher, Secretária do Ministério de Agroindústria da Argentina, também participou do debate.

No painel sobre “Economia, Finanças e Investimentos na região”, Octavio de Lazari Junior, presidente do Banco Bradesco para América Latina, salientou que “os dois países estavam em processo de recuperação, mas tivemos o problema da valorização do dólar, que acabou afetando as economias. Nós vamos ter que trabalhar mais agora. É um grande desafio, principalmente para a Argentina, por causa da dívida fiscal que tem que enfrentar”. Além dele participaram Cláudio Borsa, Presidente do Grupo Brasil, Enrique Cristofani, Presidente do Banco Santander Río, e Diego de Leone, Presidente da Natura Argentina.

Finalizando a agenda oficial, o painel de “Competitividade” foi composto por Oscar Andreani, Presidente do Grupo Andreani, Cristiano Rattazzi, Presidente da FCA Argentina, e o jornalista Jorge Fontevecchia, Presidente do Grupo Editorial Perfil. “Gostaria de deixar uma mensagem mista. É certo que a popularidade do governo argentino põe em risco sua reeleição em 2019 e isso enterra uma grande quantidade de investidores. Os cenários eleitorais aqui em qualquer caso dão como ganhador um governo que não será populista”, expressou Fontevecchia. “A Argentina perdeu o rumo há muitos anos e tem cenários de ´não-competividade´ como o arcabouço fiscal complicado, a falta de investimento em infraestrutura e uma burocrática legislação trabalhista”, finalizou Rattazzi.

“Grandes nomes do primeiro time empresarial de ambos os países debateram em blocos diversas perspectivas para a região, mesmo com climas pontuais difíceis. Concretizamos um intercâmbio positivo e daqui surgirão muitos frutos. Conquistamos nosso objetivo”, conclui José Roberto Maluf. Ainda na lista de palestrantes estiveram: Inés Weinberg de Roca, Presidente do Tribunal de Justiça da Cidade de Buenos Aires; Guillaume Paupy, Gerente Geral do Palácio Duhau Park Hyatt Buenos Aires; e Gustavo Segré, Diretor do Center Group.

Compartilhe:

Apoiadores
©2018 Rent My Brain
Desenvolvido por SIXSIDED