Segunda-feira, 18 de Junho de 2018
Trade
Garantindo o futuro da aviação com regulamentações mais inteligentes, padrões globais e infraestrutura
Imagem do Artigo: Garantindo o futuro da aviação com regulamentações mais inteligentes, padrões globais e infraestrutura

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) pediu aos governos que facilitem o crescimento da conectividade global, evitando a rerregulamentação, mantendo a integridade dos padrões globais e resolvendo problema da crise de capacidade.

O apelo foi feito no Relatório do Diretor Geral da IATA sobre a Indústria de Transporte Aéreo na 74ª Assembleia Geral Anual da IATA e na Cúpula Mundial do Transporte Aéreo.

“Na missão principal da aviação de fornecer conectividade segura, confiável, acessível e sustentável, nossa indústria está cada vez mais forte. E com níveis “normais” de lucratividade, estamos fornecendo os benefícios da aviação de forma ainda mais ampla. Mas há desafios. A regulamentação mais inteligente precisa combater a tendência de rerregulamentação gradual. Os padrões globais devem ser mantidos pelos estados que os estabeleceram. E precisamos encontrar soluções eficientes para a iminente crise de capacidade”, disse Alexandre de Juniac, Diretor Geral e CEO da IATA.

A desregulamentação da indústria de transporte aéreo, que começou em 1978 nos Estados Unidos, provocou mudanças globais que permitiram a disseminação dos benefícios do transporte aéreo. A concorrência viu o preço da conectividade aérea cair, tornando o transporte aéreo muito mais acessível. Em 1978, uma pessoa normal voava uma vez a cada 6,6 anos. Hoje a média está mais próxima de uma vez a cada dois anos.

Porém, a tendência de rerregulamentação coloca em risco os ganhos da desregulamentação. Citando ações regulatórias no mundo todo, Alexandre de Juniac observou que a regulamentação superabrangente agora inclui tentativas de impor regras à compensação de passageiros, designações de assentos, opções de ingressos que podem ser oferecidas aos consumidores e preços cobrados por vários serviços secundários.

“As regulamentações devem agregar valor. Ao avaliar isso, os reguladores devem reconhecer o poder da concorrência e das mídias sociais na proteção dos interesses dos consumidores. Os governos não devem distorcer a eficácia do mercado com regulamentações que tentam adivinhar o que os consumidores realmente querem”, disse Alexandre de Juniac.

Esse é o espírito da campanha de “regulamentação mais inteligente” da IATA, que pede aos governos que se alinhem aos padrões globais, levem em consideração as opiniões do setor e analisem o custo-benefício da regulamentação. Alexandre de Juniac observou que um dos desenvolvimentos regulatórios atuais mais animadores é a revisão abrangente das regulamentações comerciais dos Estados Unidos, que tem como objetivo manter apenas aquelas em que os benefícios superam os custos tanto para os passageiros quanto para o setor.

Alexandre de Juniac pediu uma forte defesa dos padrões globais que orientam o desenvolvimento seguro e eficiente da aviação. “Devemos pedir atenção aos governos. É inaceitável que os padrões globais estejam sendo ignorados pelos próprios governos que os criaram”, disse ele.

“Estamos em uma crise de capacidade. E não vemos o investimento necessário em infraestrutura aeroportuária para resolvê-la. Os governos lutam para realizar as construções, mas como estão sem dinheiro, muitos estão buscando soluções no setor privado. Precisamos de uma maior capacidade aeroportuária. Mas temos que ter cautela. É errado achar que a privatização será uma solução mágica”, disse Alexandre de Juniac.

Compartilhe:

Apoiadores
©2018 Rent My Brain
Desenvolvido por SIXSIDED