Terça-feira, 16 de Outubro de 2018
Destinos
História do Município de Foz do Iguaçu começa como Colônia Militar, em 1889
Imagem do Artigo: História do Município de Foz do Iguaçu começa como Colônia Militar, em 1889

por João Zuccaratto

Cidade no Oeste do Estado do Paraná tem pouco mais de um século. Começou como Colônia Militar, garantindo a ocupação da área por brasileiros.  Marco das Três Fronteiras surge em 1903. Parque Nacional das Cataratas do Iguaçu nasce após visita de Santos Dumont, em 1916.

O limite Oeste do Tratado de Tordesilhas acabava no litoral do hoje Estado de Santa Cataria, no Município de Laguna

Em 1541, a Espanha enviou uma expedição para cruzar suas terras a partir do ponto em que o limite do Tratado de Tordesilhas encontrava o mar, localizado ao Sul da Terra de Santa Cruz. Isto se no litoral do que é hoje o Estado de Santa Catarina, no Município de Laguna. Comandada pelo explorador Alvar Nunes Cabeza de Vaca, ele desviou a rota para o Norte, avançando sobre o agora Estado do Paraná, então território de Portugal.

Buscava o que os índios chamavam de “peabiru”. Na língua tupi, “pe” é caminho; e “abiru”, gramado amassado. Eram antigas picadas usadas pelos nativos sul-americanos desde muito antes da chegada dos homens brancos. O principal deles, batizado pelos europeus de “Caminho de Peabiru”, constituía-se numa via unindo o Oceano Atlântico ao Oceano Pacífico, vencendo, inclusive, as grandes altitudes da Cordilheira dos Andes.

Historiadores divergem se ele alcançou este objetivo. Uns dizem que sim, outros que, chegando às partes altas das terras paranaenses, encontrou um rio, correndo no mesmo sentido da expedição. Por ser bastante largo, e ter um curso, os tupis o chamavam de “iguassu”, ou “águas grandes”. Providenciando embarcações, Alvar Nunes Cabeza de Vaca aproveitou aquela estrada natural para imprimir mais velocidade à dura viagem.

Após navegar semanas, cruzando mais de mil quilômetros de território, ele e os homens ficam assustados com um ronco muito forte, vindo de longe. Sem noção do que havia à frente, ancoram as canoas e seguem a pé, aproximando-se da fonte do barulho. E notam que, tivessem seguido na correnteza, estariam mortos. Seria impossível evitar serem tragados pela força gerada por águas despencando em abismos com 70 metros de altura.

Tornaram-se os primeiros europeus a ver aquelas quedas. E nas anotações descrevendo a aventura, Cabeza de Vaca as batizou de Saltos da Santa Maria. Seguindo adiante, viu que elas ficavam próximas ao final daquele rio, com as águas grandes sendo despejadas no que os nativos denominavam “paraná”, ou “curso d’água extenso e largo, com ilhas pelo meio”. Como fim de rio é foz, na denominação indígena, ali era a “foz do iguassu”.

 

O explorador espanhol Alvar Nunes Cabeza de Vaca comandou a expedição que descobriu as Cataratas do Iguaçu

 

Devido ao Tratado de Tordesilhas, aquela região era parte da Espanha. E ela começou a ser ocupada principalmente pelos jesuítas, erguendo núcleos urbanos conhecidos como missões, ou reduções. Ao mesmo tempo, os bandeirantes paulistas, avançando além dos limites territoriais existentes, foram incorporando aquelas áreas à colônia do Brasil. Este processo foi bastante acelerado no período de união das coroas espanhola e portuguesa.

Separados os dois reinos, com os espanhóis sem recursos para retomarem as terras sob a força de expedições militares, Portugal torna-se senhora absoluta de tudo por ali. Em 1759, o primeiro-ministro português Sebastião José de Carvalho e Melo, o Marquês de Pombal, ao expulsar os jesuítas de todas as colônias lusas, põe ao fim qualquer tipo de autoridade espanhola no Sul brasileiro, com seu limite Oeste definido pelo Rio Paraná.

 

Com a expulsão dos jesuítas das terras portuguesas, chegou ao fim qualquer sinal de dominação espanhola  no território que é hoje o Sul do Brasil. Os religiosos deixaram para trás diversos vilarejos, conhecidos por Missões, ou Reduções

 

De todo modo, devido à grande distância da capital da colônia, situada na cidade do Rio de Janeiro, e às enormes dificuldades de acesso por terra, poucos eram os brasileiros a se arriscar por aquelas bandas. Mas isto começa a mudar lá pela metade do século XIX. Primeiro, com a criação da Província do Paraná, em 1853. E, logo após, com a decisão de instalação de colônias militares, garantindo a ocupação daquelas extensas fronteiras.

 

Na aquarela do almirante Trajano Augusto de Carvalho, encouraçados brasileiros cruzam a Passagem de Humaitá, durante a Guerra do Paraguai. Conflito enfatizou a necessidade do Brasil ocupar as terras fronteiriças àquela país

 

Este processo é acelerado após o término da Guerra do Paraguai, conflito iniciado em 1864 e encerrado em 1870. Em 27 de março de 1872, a princesa Isabel assina acordo para definição de fronteiras com a República do Paraguay. Em 1881, a Foz do Iguassu recebe os primeiros habitantes: o brasileiro Pedro Martins da Silva e o espanhol Manuel González. Logo após, os irmãos Goycochéa, dando início à exploração da erva-mate.

Esta atividade econômica, junto à exploração de madeira, começa a atrair mais pessoas para lá, e a população passa a crescer, espalhada pelas matas. Em julho de 1889, chega uma expedição do Exército, sob ordens do tenente José Joaquim Firmino, com missão de fundar uma Colônia Militar. Ante disso, faz um censo e identifica 324 habitantes. Eu sua maioria, argentinos e paraguaios, mas havia também muitos espanhóis e ingleses.

Somente em 22 de novembro daquele ano é instalada a Colônia Militar de Vila Iguassu, com um erro de localização. Em vez de ser naquele espaço que, agora, está o Marco das Três Fronteiras, deslocou-se cerca de 15 quilômetros para o Norte, até o local que, hoje, abriga o quartel do Batalhão de Infantaria Motorizada, no Centro da cidade. E começa a exercer a competência de distribuir terrenos a colonos interessados de produzir por lá.

 

Destacamento da Colônia Militar de Foz do Iguassu, no início do século XX

 

Uma das áreas entregues nesta modalidade tinha dentro de seus domínios as Cataratas do Iguassu. Como os agricultores vivendo nas propriedades recebidas, o povoamento se dava de modo esparso. Tanto que, em 1897, quando foi criada a Agência Fiscal, visando implantar e regularizar a cobrança de impostos, chefiada pelo capitão Lindolfo Siqueira Bastos, este registrou a existência de apenas 13 casas no entorno da instalação militar.

Em 6 de outubro de 1898, a República do Brasil e a República da Argentina assinam acordo definindo as fronteiras entre os dois países. Inicia-se o século XX e, em 20 de julho de 1903 é inaugurado o Marco das Três Fronteiras — o que também ocorre nos lados argentino e paraguaio. A população chega a, aproximadamente, 2.000 pessoas, em situação bem confortável: o número de brasileiros supera em muito o de estrangeiros.

 

O marco brasileiro, localizado no Porto Meira, foi inaugurado em 1903, e seus autores foram o marechal Cândido Rondon e Dionísio Cerqueira. O Marco argentino situa-se à margem esquerda do Rio Iguaçu; e o paraguaio, à margem direita do Rio Paraná. Os três, igualmente pintados com as cores nacionais, formam um triângulo equilátero que fixa o limite territorial e a soberania dos três países

 

Na parte rural, além da extração de erva-mate e a exploração de madeira, cresceu a agricultura de subsistência e já funcionam engenhos de açúcar e alambiques de cachaça. O vilarejo ao redor do quartel dispõe de telégrafo, hospedaria, quatro mercearias e uma importante instalação de Governo, a chamada Mesa de Rendas, instituição ainda dos tempos imperiais, estabelecidas durante a Regência, período que foi de 1830 a 1841.

Elas faziam a fiscalização da exportação e importação em portos de pouco movimento, cujo rendimento em impostos não era suficiente para manter uma Alfândega completa. A Mesa de Rendas de Foz do Iguassu foi criada em 1904 e instalada quatro depois, em 1908. Seu primeiro administrador foi Antônio Francisco de Santa Rita Júnior. Em 1910, a Colônia passa à condição de Vila Iguassu, um Distrito do Município de Guarapuava.

Em 1912, o ministro da Guerra emancipa a Vila Iguassu, tornando-a povoamento civil, entregue ao Governo do Estado do Paraná. O Município de Vila Iguassu é criado em 14 de março de 1914 e instalado dia 10 de junho. Em 15 de junho, tomam posse o primeiro prefeito, Jorge Schimmelpfeng, e a primeira Câmara de Vereadores. Inicia-se uma luta para melhorar os acessos por terra à cidade, só alcançada através de trilhas e picadas.

Em 1916, passando pela cidade de Foz do Iguassu, Alberto Santos Dumont, o Pai da Aviação, convidado pelos proprietários do hotel onde estava hospedado, foi conhecer as Cataratas do Iguassu. E ficou bastante surpreso ao saber que toda a área que guardava aquela beleza pertencia a um particular. Além do mais, um estrangeiro: o uruguaio Jesus Val. E decidiu agir para modificar aquela situação, tornando-a um patrimônio da Nação.

No retorno para o Estado do Rio de Janeiro, passou por Curitiba e explicou sua ideia ao presidente do Estado do Paraná, Affonso Alves de Camargo. Assim, a propriedade, com pouco mais de mil hectares, foi desapropriada em 28 de julho de 1916, sendo declarada de utilidade pública. O Município passa a denominar-se Foz do Iguaçu em 1918. E suas condições de quase total isolamento em relação ao resto do Estado mudam em 1920.

 

Devido ao seu esforço em prol da desapropriação da área que abrigava as Cataratas do Iguaçu, Santos Dumont é homenageado com um estátua de bronze dentro do espaço do Parque Nacional

 

Isso ocorreu com a abertura da estrada ligando-a à capital, Curitiba. Mesmo assim, uma via precária, cheia de obstáculos. Em 1924, os revoltosos da Coluna Prestes, deixando a capital paulista, marcharam para Sudoeste. Ingressando no Estado do Paraná, foram conquistando cidades fronteiriças ao Paraguai. Fixaram o quartel-general em Foz do Iguaçu, lá permanecendo até 1925, quando partiram rumo ao Estado do Mato Grosso.

 

As tropas da Coluna Prestes perfiladas diante do Marco das Três Fronteiras. Aqueles revoltosos transformaram a cidade de Foz do Iguaçu em quartel-general, na qual permaneceram por quase um ano

 

Em 1927, é fundado o Grupo Escolar Bartolomeu Mitre. Em 1932, a guarnição militar passa a ser denominada por Companhia Independente de Fronteira. O presidente Getúlio Vargas cria o Parque Nacional do Iguaçu em 10 de janeiro de 1939. No mesmo decreto, amplia sua área 157 mil hectares. Em 1º de janeiro de 1943, o Exército Brasileiro altera outra vez a denominação do destacamento de soldados: agora é Batalhão de Fronteira.

Sob o argumento de melhorar as condições da segurança nacional, a ditadura Vargas transforma o Município no Território Federal do Iguaçu, no dia 13 de setembro de 1943. Com a redemocratização do País, volta a ser Município em 18 de setembro de 1946. O Colégio Vicentino São José começa a funcionar em 1º de janeiro de 1947. A Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu é criada e instalada em 1º de janeiro de 1951.

Em 14 de novembro deste mesmo ano, o Distrito de Cascavel é elevado à categoria de Município, desmembrando-se de Foz do Iguaçu. No final dos anos 1950, é iniciado o asfaltamento da rodovia que corta o Estado do Paraná do litoral Leste até à fronteira Oeste. Seu traçado começa no Município do Paranaguá e termina no Município de Foz do Iguaçu. Obra executada em etapas, demorou mais de uma década para ser concluída.

 

Em visita a Foz do Iguaçu, no ano de 1959, o presidente Juscelino Kubistchek dá início às obras da Ponte Internacional da Amizade, que ligaria Foz do Iguaçu, no Brasil, a Porto Stroessner, no Paraguai

 

Importante fator para o desenvolvimento econômico do Sudoeste do Estado do Paraná toma forma a partir do dia 1º de janeiro de 1959, com o Governo Juscelino Kubitschek iniciando a construção da Ponte Internacional da Amizade. Em 25 de julho de 1960, os Distritos de Matelândia e Medianeira viram Municípios — e o primeiro leva também o Distrito de Céu Azul. E o mesmo acontece com São Miguel do Iguaçu, em 25.1.1961.

 

A construção da Ponte Internacional da Amizade avança sobre o leito do Rio Paraná. Ela foi inaugurada em 27 de março do 1965

 

No dia 27 de março de 1965, o presidente do Brasil, Castelo Branco, e o presidente do Paraguai, Alfredo Stroessner, inauguram a Ponte Internacional da Amizade. Ao mesmo tempo, o Governo do país vizinho, visando dinamizar o progresso da cidade erguida do outro lado daquela ligação internacional, cria um incentivo fiscal voltado às atividades comerciais estabelecidas em Puerto Stroessner, agora denominada de Ciudad del Leste.

Além disso, a partir dali, iniciou a construção de uma via cruzando toda aquela nação, até alcançar sua capital, Assunção. Isto o permitiu assinar acordo com o Brasil para usar o Porto de Paranaguá no desembarque ou embarque de produtos, transportadas ao longo da estrada indo Leste e Oeste, batizada de BR 277 quando da reorganização do sistema rodoviário brasileiro, feita pelo Governo Militar, no Poder desde 31 de março de 1964.

 

Paraguaios comemoram o início da construção do edifício de administração da Alfândega na cidade de Puerto Stroessner

 

Com o asfaltamento total da BR 277 sendo entregue em 27 de março de 1969, ajudou muito no longo período em que, no Brasil, importar era proibido ou taxado em excesso, e Ciudad de Leste tornou-se famosa como zona livre de impostos. Isto facilitou para Foz do Iguaçu se desenvolver como polo de turismo de compras, uma vez que brasileiros de todas as regiões viajavam até lá para aproveitar as vantagens do outro lado da fronteira.

O Tratado de Itaipu, assinado entre o Brasil e o Paraguai, em 26 de abril de 1973, é o primeiro passo para se fazer o aproveitamento das águas do Rio Paraná na geração de energia elétrica. Em 7 de janeiro de 1974 é inaugurado o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu. Em 1º de janeiro de 1975 são iniciadas as obras de construção da usina hidroelétrica batizada como Itaipu Binacional, causando impactos em toda a região.

 

As obras de construção da usina hidroelétrica batizada como Itaipu Binacional foram iniciada em 1º de janeiro de 1975 , causando impactos em toda a região

 

Um deles, o aumento da população de Foz do Iguaçu: de 34 mil habitantes, em 1970, para 136 mil em 1980 — 385% a mais. O Batalhão de Fronteira torna-se Batalhão de Infantaria Motorizada dia 1º de janeiro de 1980. Em 13 de janeiro de 1982 começam as obras da Ponte Internacional da Fraternidade, sobre o Rio Iguaçu, ligando Argentina e Brasil. E em 3 de maio, o Distrito de Santa Terezinha de Itaipu torna-se Município.

 

As obras da Ponte Internacional da Fraternidade, sobre o Rio Iguaçu, ligando Argentina e Brasil, começara em 13 de janeiro de 1982. Ela foi inaugurada em 1º de dezembro de 1986

 

As obras de construção da Usina de Itaipu são concluídas em 12 de outubro de 1982, mas a produção de energia só é iniciada em 5 de maio de 1984. Em 17 de novembro de 1986, o Parque Nacional do Iguaçu recebe a distinção de Patrimônio Mundial Natural, concedida pela Unesco, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura. E em 1º de dezembro, é inaugurada a Ponte Internacional da Fraternidade.

Em 1º de novembro de 1993 é iniciada a construção do Parque das Aves, inaugurado um ano depois, em 6 de outubro de 1994. Também neste ano, o Governo Federal amplia a área do Parque Nacional do Iguaçu, dando-lhe os limites atuais, englobando 185 mil hectares voltados à preservação da natureza. E isto permite a Foz do Iguaçu começar a se apresentar ao mundo como polo de alternativas de desenvolvimento sustentável.

Uma das primeiras iniciativas neste sentido foi sediar os Jogos Mundiais da Natureza, evento acontecido em setembro de 1997. Muitas outras vêm sendo apoiadas pela Itaipu Binacional, a partir da sua posição de maior geradora de energia renovável do planeta. A empresa faz investimentos significativos em iniciativas que usam a eletricidade para fazer a propulsão de automóveis, veículos de transporte coletivo e até mesmo aviões.

Atua também na promoção do turismo, patrocinando eventos capazes de transformar o Município de Foz do Iguaçu em destino de visitantes não mais buscando apenas preços de produtos. É claro que as compras são importantes, mas elas podem ser agregadas a uma oferta de belezas naturais, manifestações de cultura, recuperação da memória local, respeito à diversidade religiosa, riqueza de opções culinárias, práticas esportivas etc.

Com uma população de mais de 250 mil habitantes, Foz do Iguaçu investe em atrativos capazes de agradar desde crianças e jovens, até adultos e, principalmente, o contingente da Melhor Idade. E isto vai desde apreciar réplicas de gente famosa no Museu de Cera, transitar entre reproduções de dinossauros e cruzar viveiros em que pássaros convivem naturalmente com seres humanos até a adrenalina pura de navegar ao pé das Cataratas.

O passeio pelos principais pontos turísticos do Município, passando pelo Marco das Três fronteiras e fazendo visitas à maior Mesquita do Brasil e ao mosteiro Budista, pode ser concluído com o pôr do Sol nas águas da represa da Usina de Itaipu. As noites são prolongadas em bons restaurantes e casas de shows espalhadas pela cidade. E, cruzando a Ponte da Amizade, entra-se em um dos maiores shoppings a céu aberto do mundo.

Para concluir, dois fatos relevantes. A última das 20 unidades de geração de energia da Usina de Itaipu começou a funcionar em 2007, mais de duas décadas após a conclusão da represa. E, podem até não acreditar: a unidade militar situada no Centro da cidade mudou de nome pela quinta vez. Em 24 de maio de 2013, deixou de ser o Batalhão de Infantaria Motorizado e passou a ser chamada de Batalhão de Infantaria Mecanizado.

 

Principais atrações turísticas do Município de Foz do Iguaçu

 

• Cataratas do Iguaçu

• City tour em ônibus especial

• Ecomuseu

• Espaço das Américas

• Iluminação da Barragem de Itaipu

• Luau nas Cataratas

• Macuco Safari

• Marco das Três Fronteiras

• Mesquita

• Museu de Cera

• Parque Aquático do Lago de Itaipu

• Parque das Aves

• Parque Natural das Cataratas do Iguaçu

• Passeio de Helicóptero

• Passeio de Katamarã

• Polo Astronômico

• Ponte da Amizade

• Ponte da Fraternidade

• Praia artificial do Lago de Itaipu

• Refúgio Biológico

• Skydive Foz

• Templo Budista

• Trilha do Poço Preto

• Usina de Itaipu

• Vale dos Dinossauros

 


 

Matéria produzida a partir da participação na edição 2015 do Festival de Turismo das Cataratas, realizado de 17 a 19 de junho, na cidade de Foz do Iguaçu, localizada no extremo Oeste do Estado do Paraná, na região da Tríplice Fronteira, sendo vizinha à Argentina e ao Paraguai.

Compartilhe:

Apoiadores
©2018 Rent My Brain
Desenvolvido por SIXSIDED