Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018
Feiras & Eventos
Relatório de Tendências da WTM Latin America, elaborado em conjunto com a Euromonitor International, aponta caminhos para o turismo
Imagem do Artigo: Relatório de Tendências da WTM Latin America, elaborado em conjunto com a Euromonitor International, aponta caminhos para o turismo

A geração do milênio impulsionará a tecnologia móvel na América

Latina A tecnologia móvel ganhará importância no setor latino-americano de viagens e turismo à medida que a geração do milênio da região se sentir mais à vontade para realizar transações por smartphones. É o que foi divulgado  no dia 29 de março, no Relatório de Tendências da WTM Latin America 2016.

O relatório, elaborado em conjunto com a Euromonitor International, revela que a geração do milênio – formada por quem tem atualmente entre 15 e 35 anos de idade – representa quase 35% da população da região, o que equivale a cerca de 200 milhões de pessoas.

Somente a região do Oriente Médio e África tem uma porcentagem maior de pessoas da geração do milênio em sua população.

Como a geração do milênio é mais propensa do que outros grupos a usar smartphones para acessar a Internet, o futuro da tecnologia móvel em viagens e turismo no longo prazo é positivo: o relatório prevê que, até 2030, as vendas por tecnologia móvel ultrapassarão as realizadas por computador de mesa e atingirão um nível comparável ao das vendas offline.

O período entre 2025 e 2030 verá a tecnologia móvel superar a dos computadores de mesa pela primeira vez.

Porém, nas presentes condições, a América Latina está apresentando um desempenho inferior ao de outras regiões. Em 2014, as compras de viagens por meio de aparelhos móveis totalizaram apenas US$ 1,5 bilhão – o valor mais baixo entre todas as regiões analisadas pela Euromonitor.

Alexis Frick, Gerente de Pesquisa para o Brasil da Euromonitor International, afirmou que “o profundo abismo na inclusão digital, a grande falta de familiaridade com os canais de vendas digitais, a falta de confiança na segurança e a preferência pelo uso de agências de viagens” explicam a situação atual.

Contudo, as empresas de viagens e turismo da região podem enfrentar esse abismo ao prestarem mais serviços de viagens em movimento, atuando, na verdade, como um assistente de viagens móvel. O relatório acrescenta que a tecnologia móvel promoverá ofertas personalizadas à medida que o modelo de negócios se deslocar do computador de mesa – no qual o volume do  estoque e as reservas feitas com antecedência são primordiais – para os aparelhos móveis, nos quais a ênfase é em ofertas individuais e de última hora.

“Os modelos de negócios em viagens e turismo se transformam na era da mobilidade”, indicou o relatório, adicionando que “as marcas de viagens e turismo precisarão seguir em direção aos serviços e assistência em tempo real e às propagandas e ofertas personalizadas, ao passo que as reservas em movimento oferecem uma grande oportunidade para os serviços prestados no destino”.

O Diretor da WTM Latin America, Lawrence Reinisch, disse: “A América Latina ainda deve passar pela transição que a tecnologia móvel observou em outras regiões, mas, como um terço de sua população se encaixa na geração do milênio, é inevitável que a tecnologia móvel se torne o canal dominante”.

“No entanto, ainda faltam alguns anos para esse ponto de virada. As empresas de viagens e turismo que quiserem sair na frente na conquista de espaço em tecnologia móvel devem prestar atenção às dicas e orientações do relatório, articularmente com relação à personalização e aos assistentes móveis.”

“Em outros mercados, os primeiros a adotar foram os vencedores, e na América Latina não deve ser diferente.” A WTM Latin America, principal evento mundial do setor latino-americano de viagens e turismo, acontece de 29 a 31 de março no Expo Center Norte, em São Paulo.

O Relatório de Tendências da WTM Latin America foi divulgado no dia 29 de março em uma conferência de imprensa específica na WTM Latin America 2016.

 

Latino-americanos se voltam aos lucrativos turistas chineses. 

Os turistas chineses têm uma probabilidade cada vez maior de encontrar guias que falam mandarim e suas cervejas asiáticas preferidas na América Latina, à medida que a região se adapta ao crescente mercado da China. É o que revelou o Relatório de Tendências da WTM Latin America.

O relatório de 2016, elaborado em conjunto com a Euromonitor international, prevê que o turismo emissivo chinês ultrapassará o de outros mercados emissores nos próximos anos e mostra as maneiras pelas quais os hoteleiros latino-americanos estão adaptando seus serviços aos gostos  chineses.

Atualmente, os chineses fazem mais de 65 milhões de viagens por ano no mundo, mas esse número atingirá 115 milhões até 2025, fazendo da China o maior mercado emissor do mundo.

A China também está apresentando a maior taxa de crescimento global em número de viagens para a América Latina, com elevação prevista de 33% entre 2014 e 2019.

Além disso, as estatísticas indicam que cada vez mais turistas chineses estão se aventurando em regiões distantes, como a América Latina.

Em 2014, a China ocupou a 13ª posição entre os principais mercados emissores para a América Latina, com quase 380.000 viagens.

No entanto, até 2019, ela subirá à 10ª posição – ultrapassando Austrália, Japão e Rússia –, com pouco mais de meio milhão de viagens.

Alexis Frick, Gerente de Pesquisa da Euromonitor International no Brasil, afirmou: “O México é, de longe, o destino mais procurado pelos visitantes chineses, com 110.000 viagens em 2014. O Brasil vem em segundo lugar (64.000), seguido da Venezuela (34.000) e da Argentina (32.000). Todos os países da América Latina apresentaram altas taxas de crescimento de turistas chineses desde 2009, sendo que a maior taxa foi a da Venezuela, de 400%”.

O relatório destaca que os turistas chineses adoram fazer compras em suas férias ao redor do mundo, especialmente de marcas de luxo.

“Os chineses gastaram mais de US$ 50 bilhões em compras em 2015, quase o dobro do que gastaram em hospedagem e atividades, sendo que as compras corresponderam a um terço do orçamento de viagem deles”, disse Frick.

Lawrence Reinisch, Diretor da WTM Latin America, comentou: “É fascinante ver como o fenômeno do turista chinês está chegando à América Latina”.

“Este relatório mostra que os prestadores de serviços de turismo estão aprimorando os serviços que oferecem, de modo a conquistar sua parcela nesse mercado lucrativo.”

“A personalização é algo básico, de modo que é primordial oferecer  informações em mandarim e guias falantes de mandarim, assim como assegurar que as compras estejam integradas à viagem.”

“Os hotéis estão incluindo culinária asiática e instalações de bem-estar e passando a oferecer marcas de cerveja procuradas, como Snow e Tsingtao.”

“Algumas redes de hotéis têm novos programas de boas-vindas, com chaleiras nos quartos de hóspedes e congee no café da manhã para fazer os hóspedes chineses se sentirem em casa.”

O Relatório de Tendências da WTM Latin America foi divulgado no dia 29 de março, em uma conferência de imprensa específica durante a WTM Latin America 2016.

 

Sempre conectado: Conheça o viajante nacional autônomo (VNA)

A ascensão da tecnologia móvel mudou para melhor o comportamento do consumidor de viagens, segundo o WTM Latin America Trends Report 2016

O Viajante Nacional Autônomo (VNA) foi identificado como um novo tipo de turista, conforme revelou  o Relatório de Tendências da WTM Latin America 2016.

O novo relatório, elaborado em conjunto com a Euromonitor International, analisa esse buscador de experiências que está sempre conectado e usa seus aparelhos móveis para encontrar informações, buscar serviços ao cliente e fazer reservas adicionais durante sua viagem.

“Com a ascensão da Internet como lugar para comprar, pesquisar e compartilhar informações sobre serviços e experiências de viagens, vem aumentando cada vez mais a importância de mapear todos os estágios da jornada do viajante”, afirmou Alexis Frick, research manager da Euromonitor International, que apresentou o Relatório de Tendências da WTM Latin America 2016.

“As tecnologias móveis podem desempenhar um papel importante em cada estágio da jornada de um viajante na forma de promoções
personalizadas, de reservas e de check-in móvel. Os consumidores podem agora planejar as viagens por conta própria e estão fazendo isso.”

Frick disse aos presentes que um fator fundamental nesse novo fenômeno é a

ascensão dos serviços de viagens peer-to- peer que estão alterando o panorama das viagens e do turismo, como o EatWith – em que os turistas podem reservar mesas na casa do chefe de cozinha; o Trover – site no qual os membros compartilham fotos, dicas e inspirações de suas viagens; e o Airbnb – site de aluguel de quartos.

Esses serviços peer-to- peer acompanham a demanda de boas relações custo-benefício e experiências autênticas, que estão se mostrando muito atraentes para os viajantes.

Além disso, o relatório prevê que, à medida que o turismo nacional ganhe importância na América Latina, mais ferramentas móveis serão disponibilizadas para permitir que o VNA evolua rapidamente.

“As fracas taxas de câmbio em toda a região são particularmente problemáticas para o turismo emissivo dos países latino-americanos. A atenção do setor, portanto, estará mais voltada às viagens internas e aos visitantes de fora da América Latina”, acrescentou Frick.

O relatório acrescenta que os consumidores da América Latina ainda evitam os pagamentos móveis de viagens, mas apresentam alto engajamento nas redes sociais e na economia colaborativa.

O Diretor da WTM Latin America, Lawrence Reinisch, disse: “A tecnologia móvel está abrindo novas oportunidades na América Latina, dando autonomia os clientes e mudando o comportamento dos viajantes e suas experiências antes, durante e depois das viagens”.

“Graças aos aparelhos móveis, os viajantes latino-americanos estão sempre ligados e sempre conectados, e esperamos observar um avanço muito significativo nas ofertas móveis para o consumidor viajante no futuro próximo.”

 

 

Compartilhe:

Apoiadores
©2018 Rent My Brain
Desenvolvido por SIXSIDED